domingo, 11 de maio de 2014

Livro sobre Abelha Tiúba será lançado com apoio da Sagrima


A abelha Tiúba, espécie sem ferrão criada no Maranhão, foi tema de 25 anos de pesquisas reunidas em livro lançado no auditório da UEMA NET



Livro que reúne 25 anos de pesquisa sobre a Abelha Tiúba no Maranhão homenageia o pesquisador Warwick Estevam Kerr.
Livro que reúne 25 anos de pesquisa sobre a Abelha Tiúba no Maranhão homenageia o pesquisador Warwick Estevam Kerr.


Anos de pesquisa sobre a abelha Tiúba, espécie sem ferrão, foram reunidos no livro “25 Anos de Pesquisas Sobre a Abelha Tiúba Melipona Fasciculata no Maranhão”, que será lançado nesta sexta-feira (22), às 15h, no Auditório da UEMA Net, no Campus da Universidade Estadual do Maranhão. A obra, organizada pelos pesquisadores Eleuza Gomes Tenório, José Ribamar Barros e Cíntia Pacheco, foi escrita, segundo os autores, não apenas para ser material de pesquisa acadêmica como também para servir ao produtor apícola como fonte de conhecimento da atividade.

Em destaque no livro temas como o manejo adequado da espécie, detalhes sobre a florada no Estado, aumento no rendimento das colônias e a busca do mercado dos produtos apícolas oriundos da espécie. “A obra também é uma homenagem aos 90 anos do Prof. Dr. Warwick Estevam Kerr, um dos maiores cientistas do Brasil e considerado um dos maiores especialistas em genética de abelhas do mundo. Foi ele o responsável pela pesquisa de abelhas no Maranhão”, destaca a Profa. Dra. Eleuza Tenório.

O evento terá ainda palestra do Prof. Dr. Espencer Soares, da USP Ribeirão Preto, que vai representar e contar a trajetória e contribuição do Dr. Warwick Kerr nas pesquisas feitas no Maranhão. “Eventos como esse dão visibilidade à atividade apícola do Maranhão, que apesar de ainda tímica tem potencial para tornar o estado maior produtor de mel orgânico do país”, ressalta Cláudio Azevedo, Secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SAGRIMA), que apoia o evento.

Abelha Tiúba - A Melipona fasciculata, popularmente conhecida como Abelha Tiúba, ocupa lugar de destaque dentre as abelhas sem ferrão mais promissoras para a produção de mel no Brasil. É criada em quase todo o Estado do Maranhão, principalmente na Baixada Maranhense, e representa um importante papel econômico como fonte de renda e qualidade de vida para agricultores familiares. Encontrada no Maranhão, Pará e Piauí, a Tiúba é uma abelha nativa, indígena, e tem explorados sua produção de cera, mel e geoprópolis (usado para tratamentos dentários).

No primeiro semestre do ano passado, durante o Congresso Brasileiro de Apicultura realizado na Cidade de Gramado- RS, o mel da abelha Tiúba do Maranhão foi escolhido como o melhor mel de abelha sem ferrão produzido no Brasil em um concurso com representantes de todos os estados produtores. O mel vencedor foi colhido no município de Morros, em um projeto piloto de implantação da atividade apícola na região.

A criação racional das abelhas sem ferrão é uma atividade que tende a crescer, trazendo benefícios econômicos e ambientais. “A criação de abelhas preserva o meio ambiente porque elas realizam o serviço de polinização das plantas, tanto silvestres como cultivadas. Além disso, contribuem diretamente para a produção de alimentos e manutenção da biodiversidade vegetal”, enfatiza Eleuza Tenório.

A produção apícola é a principal atividade de quase 500 familias maranhenses
A produção apícola é a principal atividade de quase 500 familias maranhenses


A pesquisadora alerta, porém, que a sobrevivência das abelhas sem ferrão está ameaçada por desmatamentos, queimadas e uso indiscriminado de agrotóxicos, além do processo predatório de retirada do mel. “Com a permanência da atividade extrativista do meleiro é provável que a abelha tiúba seja extinta um dia. O que vai garantir a preservação dessa abelha é justamente sua criação racional e, no Maranhão, esse trabalho está sendo desenvolvido com técnicas que melhoram o manejo, como por exemplo, a transferência do tronco para a colmeia racional, o que, consequentemente, aumenta a produção. Essa produção sustentável tem crescido no estado”, afirma Eleuza Tenório.

Trabalhos racionais feitos através de meliponário são encontrados em grandes quantidades no Maranhão, principalmente na Baixada Maranhense, onde os meliponários abrigam cerca de 300 a 400 colméias. Os municípios de Santa Luzia do Paruá, Olinda Nova do Maranhão, e Viana são grandes produtores de mel de abelha sem ferrão, mas elas podem ser encontradas em quase todo o território maranhense.

Potencial para ser maior produtor nacional – A produção maranhense de mel tem se destacado nas últimas floradas. A safra 2012, por exemplo, mesmo com todos os problemas causados pela estiagem que atingiu todo o estado, registrou uma produção de 2,5 mil toneladas, e colocou o Maranhão no 10º lugar no ranking nacional e 5º lugar na classificação entre os estados nordestinos.

Livro que reúne 25 anos de pesquisa sobre a Abelha Tiúba no Maranhão homenageia o pesquisador Warwick Estevam Kerr
O pesquisador Warwick Estevam Kerr


"O Maranhão está cada vez mais atraindo investidores que acreditam no nosso potencial. Temos uma diversidade de florada e clima propícios para a produção não só de mel orgânico, de alta qualidade e valor comercial, como de outros produtos apícolas como a cera, o pólen e até o veneno das abelhas. As maiores empresas do setor já estão de olho no nosso potencial e planejam iniciar ou aumentar os investimentos no estado nos próximos anos. O governo do estado está atento a esse cenário e vai aumentar as ações de incentivo a essa cadeia produtiva", destaca o Secretário Cláudio Azevedo.

Fonte: Sagrima • Texto: Claudilene Maia

Data de Publicação: 21/03/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário